Os extraordinários desafios que aguardam Moqtada al-Sadr no Iraque (2)

ِ

Trad. Alan Dantas
Os resultados das eleições iraquianas ainda não levaram rapidamente a decidir a identidade do partido que escolherá o próximo Primeiro-Ministro. No entanto, é muito provável – mas não certeza – que o líder do movimento Sadrista, Muqtada al-Sadr, tenha a última palavra na nomeação do  Primeiro-Ministro  à luz da expectativa de se aliar à “coalizão de grupos poderosos”. Esta aliança pode incluir o líder curdo Massoud Barzani e o líder sunita e atual presidente do Parlamento Muhammad al-Halbusi, que detém 72 assentos parlamentares. 

No entanto, isto não significa que o campo oposto liderado pelo ex-Primeiro Ministro Nuri al-Maliki tenha desistido de sua ambição. Ele reuniu rapidamente uma coalizão de seis partidos políticos sob suas asas, elevando o número total de assentos parlamentares que lidera para 68, em comparação com os 72 de propriedade do movimento Sadrista. 

A constituição exige 165 assentos parlamentares para se nomear o próximo  Primeiro-Ministro  e, consequentemente, o balcão de negociações e as exigências dos parceiros políticos estão na mesa. Portanto, a competição está bastante aberta para al-Maliki atrair poderosos grupos sunitas e curdos, não obstante a falta de qualquer chance de al-Maliki se tornar o novo P.M. O Irã e o Marjaiya em Najaf são os primeiros que se opõem ao retorno de al-Maliki, que serviu como  Primeiro-Ministro  por dois mandatos e foi forçado a abandonar o terceiro mandato em 2014.

Subscribe to get access

Read more of this content when you subscribe today.

Advertisements
Advertisements
Advertisements

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.