Como o Eixo de Resistência derrotou Israel: um golpe de mestre estratégico 

Elijah J. Magnier

Trad. Alan Dantas

O recente disparo de mísseis do Hezbollah não foi uma decisão impulsiva, mas o ponto culminante de uma estratégia cuidadosamente elaborada. Parece que Israel foi superado por um plano colocado em ação há mais de meio ano pelo “Eixo da Resistência”. Essa coalizão de líderes da Palestina, Líbano, Iraque, Síria e Iêmen se reuniu meses atrás para orquestrar uma grande armadilha direcionada diretamente a Israel e realizar manobras por todos os membros do Eixo da Resistência para o  Dia da Tempestade Al-Aqsa. Seu objetivo? Expor as vulnerabilidades militares e políticas de Israel e destruir sua reputação de dissuasão nos próximos anos. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu agora enfrenta um dilema: ele pode negociar a libertação de um grande número de prisioneiros para diminuir a escalada da situação e acabar com a “Tempestade Al-Aqsa”, ou pode preparar os israelenses para um conflito intensificado para o qual ele não está preparado.

Há seis meses, o Hezbollah deu um passo significativo ao posicionar milhares de suas forças de elite Al-Radwan ao longo da fronteira. Israel interpretou essa demonstração de força como um sinal de possível …

Subscribe to get access

Read more of this content when you subscribe today.

Advertisements
Advertisements
Advertisements